5 pedaços (ou poemas)

16:25

O caos

O caos da juventude
Não me tocará de novo
O caos é meu amigo
Sempre me empurrando para a paz
O caos é de uma beleza
Uma casa tão abarrotada que esconde tesouros
Bota fogo no solo e embaixo dele
Solidificando em cristas multicoloridos




Se eu não devo

Se eu não devo cair de amores por você agora
que és um quase desconhecido
Se eu não devo queimar
E se meus olhos não devem se transformar em duas estrelas
Esperado sua luz
Agora que você é uma promessa
Uma linda pintura observada de uma educada distância
Quando então?
Quando devo me alimentar com as borboletas
Quando devo sonhar você
Sentir você crescendo no meu estômago até o coração
Ficar alta com a adrenalina da antecipação
Se não agora
Para que essa coisa dentro do meu peito então
Ela não quer só bater
Como eu não quero só respirar
E andar por aí
em círculos
Fingindo que não sou fogo imparável




Segredos Ambulantes

Nós andamos por aí
Pés tão leves
Tão acostumados
Sempre fazendo alguma coisa
Sorrindo
Cumprimentando

Segredos ambulantes
Nós somos
Tocando outros e sendo tocados todo segundo
Cada olhar
Cada palavra
Passos que cantam amores não correspondidos
Corações partidos
Luxúria
Sonhos
Raiva
Esperanças
Alegria
Medo

Segredos Ambulantes
Nós somos
Passos que cantam
Eu sou uma Maravilha
Eu sou uma maravilha




Não é nada

Queria eu ser previsível
Uma só vida precisa de todas essas reviravoltas no roteiro?
Eu pensei que o chamado do selvagem vinha do mundo lá fora
Dessa floresta de pedras, de alcool e luzes
Vinha de dentro de mim
Eu pensei que estava procurando pelo amor
Eu estava me afogando em paixões
Que se tornaram uma ferramenta para ter certeza
de que eu conseguiria manter aqueles garotos
bem longe do meu coração
Nunca perto
Eu procurei obssessivamente pela beleza
E por anos isso fez meus olhos cegos
diante da beleza
Eu pensei que eu devia crescer
E eu cresci
Para, com graça, me tornar uma criança de novo
Eu pensei que fosse alguém
E eu não sou ninguém
E eu pensei que ser nada devia doer
E não dói
É selvagem, amável, belo, gracioso... Puro.




Azul

Se eu pudesse voltar no tempo
Não olhar para aqueles olhos
de fragmentos do oceano
Ou do céu?
Pois agora estou aqui
Andando pela Terra mas com meus pés cercados por água
Ou nuvens
Como eu me senti leve
Perto daquelas ondas
Respirando aquele vento
Seu

Não consigo me livrar do azul
Eu tentei e tantas vezes pensei ter conseguido
Talvez um dia
Mais cedo ou mais tarde
Meus pés tocarão o chão de novo
Eu tirarei minha mão do meu peito, do topo do meu coração
Vou parar de imaginar que encontrarei o Homem do Mar de novo
Ver o Homem de mar
Mais uma vez
Talvez ele me leve
Ele vai me levar




English:

Sea Man

If only I could go back in time
Not look into that fragment of the ocean’s eye
Or was it the sky?
For now I’m here
Walking on Earth but with my feet surrounded by water
Or clouds
How light I felt
Near those waves
Breathing that wind
Of yours
I can’t get rid of the blue
I tried and for many times I thought I had
Maybe one day
Sooner or later
My feet will touch only ground again
I’ll take my hand off my chest, on top my heart
Stop imagining I’ll get to watch the sea again
Watch the Sea Man
See the beautiful Sea Man
Once more
And maybe he’ll take me
You’ll take me





It's nothing

I wish I was predictable
Does one life need so many plot twists?
I thought the wildness calling me was out there
On this jungle of stones, of booze and lights
It was inside me
I thought I was searching for love
I was drowning in infatuations
They became a tool to make sure
I would manage to keep those boys far away from my heart
Never closer
I looked obsessively for beauty
And for years it made my eyes blind to beauty
I thought I should grow
And I did
To gracefully become a child again
I thought I was someone
And I am no one
And I thought that being nothing should hurt
And it doesn’t
It is wild, lovely, beautiful, graceful… Pure.




Walking secrets

We walk around
Feet so light
So accustomed
Always doing something
Smiling
Bowing
Walking secrets we are
Touching others and being touched in each second
Each look
Each word
Steps that sing unrequited loves
Broken hearts
Lust
Dreams
Anger
Hopes
Joy
Fear
Walking secrets
We are
Steps that sing
I’m a wonder
I’m a wonder




If I must not

If I must not fall head over hills for you now
That you are almost a stranger
If I must not burn
And if my eyes must not turn into two stars
Waiting for your light
Now that you’re a promise
A beautiful picture watched from polite distance
When then?
When I’m supposed to feed myself butterflies
When I’m supposed to dream you
To feel you growing in my stomach to the heart
To get high on the adrenaline of anticipation
If not now
What is this thing inside my chest for then
It does not want just to beat
Like I don’t want just to breath
And walk around
In circles
Pretending I’m not unstoppable fire




Chaos

Chaos of youth
Won’t ever touch me again
Chaos is my friend
Always pushing me to peace
Chaos is a beauty
A house so full of stuff it hides treasures
It sets fire on and under soil
Solidifying into multicolor crystals




You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe