Amor & Corpo

11:33

Uma coleção de Amor & Corpo.


Mesa de Cozinha

Quando você encontrá-lo
Ou quando ele vier ao seu encontro
Ele estará faminto
Ele estará magro
E comerá desesperadamente
Deixando cair da boca
Pegando com as mãos
Você o alimentará e dará seu abraço
Você também terá fome 
Mas não de uma maneira muito aparente
Ele te alimentará quando te preencher com ele mesmo
Não o tipo de comida sem a qual você morreria
Mas do tipo que vai atear fogo nos seus lombos e barriga
Ele comerá seu pescoço e lábios como sobremesa



Na pele

O vento anuncia sua chegada
em seu toque aveludado
Permita-me deixar um beijo no espaço entre suas sobrancelhas
Deixe-me gerar esse tipo de toque que vai perdurar
Me dê tempo para isso
Me dê sua mão
Eu quero que você entre na pele
Infiltre-se
Nade mais fundo
e mais fundo
e continue
Mesmo quando não enxergar nada e só conseguir se sentir aos espasmos
perder a consciência de ter pernas e braços
e ao mesmo tempo
Tão consciente de seus músculos
Eu quero que se esqueça de palavras
e ideias
Esqueça o que é sujo
o que é bom
o que é eficiente
o que é esperado
Se esqueça dos nossos nomes
Pode fazer isso por mim?
Pode ver meu corpo não visto?
Assim como escutar minhas palavras não ouvidas
Lamber minhas lágrimas tão solitárias
E entender meu riso de criança
Quando eu tremo de alegria como uma menina de 4 anos
Faça-me tremer
Eu não exijo
Eu peço educadamente
na minha cabeça
Segure minha cabeça
Não me deixe socá-la
Me ame quando eu estiver louca
Acho que ninguém nunca o fez
Toque minha boca
Olhe para ela
Deseje minha língua em todas as suas possibilidades
ela é uma verdadeira causadora de motim, de nascença
Deixe-me quase com medo da eletricidade me atingindo quando te toco
Deixe-me olhar para você em silêncio
Por um tempo que não conhece tempo




Corpos

Eu não tenho simpatia pelos homens que desejam meu corpo
Se você quer o meu corpo
O que há de ser das outras partes de mim
Enquanto eu o entrego para você?
Eu as imagino sentadas
Tendo sido colocadas de lado
Assistindo
Que triste
Não faça isso com elas
E não me diga que quer tudo de mim
Se não conhece tudo de mim
Você não deveria ouvir tanto o seu corpo, meu rapaz
Ele não é muito sábio
Ele gosta de coisas que não são boas para ele
Ele só procurar prazer
Ele só vai te levar a ruína



Folha

Eu não gosto de você
Até te detesto
Seus modos e seu medo
Sua eventual estupidez colidindo com ser esperto(inho)
Eu quero você
Eu sofro por você até o centro de mim
Eu te desejo de forma que toda a água do meu corpo se reune em uma grande onda
Eu logo estarei morrendo de te querer
Eu te escuto na minha cabeça
Te sinto embaixo da minha pele
Eu te amo
Como mães amam santos
e pais amam seus pais
Como amo os membros abençoados do meu corpo
Como amo uma folha voando no ar
Sempre lá
Sempre comigo
Sempre familiar
Mas nunca minha




English:


Kitchen Table

When you find him
Or when he comes to you
He will be famished
He will be skinny
And eat desperately
Letting food fall out
Grab it with his hands
You’ll feed him and give him your embrace
You’ll be hungry too
But not in a very apparent manner
He’ll feed you when he fills you up with himself
Not the kind of food you’d die without
But the kind that will fire your loins and belly
He’ll eat your neck and lips as desert



To the skin

The wind announces your arrival 
In its silky touch
Let me leave a kiss on the space between your eyebrows
Let me bare this kind of touch that will last
Give me the time for it
Give me your hand
I want you to enter the skin
Infiltrate 
Swim deeper
And deeper
And keep going 
Even when you see nothing and can only feel yourself spasming
Loose sense of having legs and arms 
At the same time
So aware of your muscles
I want you to forget about words
And ideas
Forget about what’s dirty 
What’s good
What’s efficient
What’s expected
To forget our names
Can you that for me?
Can you see my body unseen?
As well as hear my words unheard
Lick my tears all lonely
And understand my childish giggle 
When I shiver of joy like a 4 year old
Make me shiver
I don’t demand
I ask politely
In my head
Hold my head
Don’t let me punch it
Love me when I’m insane
I don’t think no one ever did
Touch my mouth
Look at it
Desire my tongue in all its possibilities
It is a true born riot maker
Make me almost afraid of the electricity hitting me when I touch you
Let me look at you in silence
For a time that knows no time
Come here
Come



Bodies

I have no sympathy for men who desire my body
If you want my body
What will happen to the other parts of me
While I give it to you?
I imagine them sitting 
Having been put aside
Watching
How sad
Don’t do that to them
And don’t you say you want all of me
If you don’t even know all of me
You also shouldn’t listen so much to your body, my boy
It is not very wise
It likes things that are not good for it
It only seeks pleasure
It will take you only to demise



Leaf

I dislike you
Even detest you
Your manners and your fear
Your eventual stupidity colliding with being smart(ass)
I want you
I ache for you to the core of me
I desire you in ways all the water in my body gathers in one great wave
I’ll soon be dying from wanting you
I hear you in my head
I feel you under my skin
I love you
Like mothers love Saints
And fathers love their fathers
Like I love the blessed limbs of my body
Like I love a leaf flying by
Always there
Always with me
Always familiar
But never mine





You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images

Subscribe